Ferrugem já está instalada em Rio Verde, acredita fitopatologista

Monitoramento: o produtor rural não deve retardar ou estender os intervalos entre as aplicações
Monitoramento: o produtor rural não deve retardar ou estender os intervalos entre as aplicações

Embora a presença do fungo não tenha sido confirmada no município, especialista recomenda cautela redobrada. Primeiro caso nesta safra foi registrado em Jataí

O laboratório de Monitoramento de Ferrugem Asiática de Jataí, em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG), identificou no último dia 10 o primeiro foco de ferrugem asiática em uma  área comercial da universidade. O fungo foi o primeiro a ser identificado nesta safra, dando indícios de que a doença está presente nas lavouras do Estado.

Em Rio Verde, até o momento, o laboratório de fitopatologia não encontrou nenhuma amostra positiva para o fungo, mas com o espectro em Jataí, a recomendação é que exista monitoramento constante. “Apesar de não termos confirmado nenhum caso em Rio Verde, acredita-se que a ferrugem já esteja instalada no município, por isso a recomendação é que o produtor rural não retarde e não estenda os intervalos entre as aplicações”, explica o fitopatologista Hércules Campos.

Outra dica importante é que o produtor não utilize subdoses e não realize aplicações com produtos isolados, ou seja, utilizar fungicidas que contenham dois ou mais princípios ativos na formulação. “Produtos esses com eficácia de controle contra a ferrugem”, afirma Campos.

 Análises 

O laboratório de Rio Verde já recebeu mais de 1.100 folhas para análise. O serviço é gratuito e qualquer produtor rural pode utilizá-lo, independentemente de ser ou não associado do Sindicato Rural (SRRV).

(Fonte: Sindicato Rural de Rio Verde)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.