As contradições que eles falam sobre a Odebrecht em Rio Verde

tresparlamentares

Deputado Lissauer Vieira e vereadores Manoel Pereira e Lúcia Batista tentam disfarçar que exerciam mandato ou faziam parte da gestão de Juraci quando os serviços foram entregues para a empreiteira por 30 anos. O trio levou um puxão de orelhas ao vivo no rádio. Veja as declarações.

 

Políticos de Rio Verde que participaram do governo do ex-prefeito Juraci Martins em 2013 – quando foi assinado um contrato de quase R$ 3 bi com a Odebrecht – estão fazendo de tudo para salvar a própria pele.

Para isso, vale até inventar a data em que foi selado o acordo que delegou por 30 anos (prorrogáveis por mais 30) os serviços de abastecimento e esgotamento sanitário da cidade, via Saneago, para a empreiteira.

Outro recurso é negar que tenham ocupado cargos na administração de Juraci ou exercido mandato de vereador na gestão em que o serviço foi entregue para a Odebrecht. É o caso dos vereadores Manoel Pereira e Lúcia Batista (ver quadro).

Apesar de ter sido secretário de governo de Juraci quando o contrato foi assinado, e candidato do ex-prefeito no ano passado, Lissauer Vieira agora prega nas emissoras de rádio que “nem participava de política nessa época” (ver quadro).

A estratégia do trio Lissauer-Lúcia-Manoel, pasmem, é dizer que a subdelegação ocorreu em 2009 – e não em 2013.

A aposta dos parlamentares é de que o rio-verdense tem memória curta.

As declarações fantasiosas fizeram com que os três levassem um ‘pito’ do deputado Karlos Cabral ao vivo no rádio esta semana (ver quadro).

Ele lembrou que, em 2012, a subdelegação para a Odebrecht foi o tema principal da eleição para prefeito de Rio Verde. Na época, Karlos e o então candidato a vice pelo PMDB, o vereador José Henrique, falavam nos palanques e na TV que o contrato era um jogo de cartas marcadas.

Em 2016, o caso Saneago/Odebrecht tornou a pautar a eleição para prefeito. Paulo do Vale terminou eleito com o compromisso de lutar pela municipalização dos serviços e quebra do contrato com a empreiteira.

A oposição, agora, alega que Paulo prometeu “quebrar” o pacto com a empreiteira no primeiro mês da administração.

Atualmente existem seis processos contra a subdelegação aguardando o Tribunal Regional Federal (TRF) decidir se a competência para julgar é da Justiça Federal ou Estadual.

 

O que eles disseram

LISSAUER VIEIRA – DEPUTADO ESTADUAL

“Na época do contrato, eu nem participava de política ainda.”

(Minha FM, 04/10/17)

“Na época do contrato, eu nem participava de política ainda.”

Os fatos: A subdelegação para a Odebrecht foi assinada em 2013, no segundo mandato do ex-prefeito Juraci Martins. No próprio perfil oficial de Lissauer na Assembleia, ele mesmo informa que “Em 2012 coordenou uma coligação, vitoriosa, de reeleição para prefeito e vereadores de Rio Verde. Em 2013 assumiu a Secretaria Municipal de Comunicação da cidade, onde permaneceu até ser eleito para deputado estadual.”

 

LÚCIA BATISTA – VEREADORA

“Quero lembrar que em 2009 o Lissauer não era deputado quando foi subdelegado e, parece, que também nem era secretário.”

(Minha FM, 04/10/17)

luciabatista

Os fatos: A vereadora sabe muito bem que Lissauer era secretário de governo de Juraci quando foi realizada a subdelegação em favor da Odebrecht em 2013 – e não em 2009. Agora na oposição ao prefeito Paulo do Vale, ela sai em defesa do antigo desafeto e ex-candidato de Juraci.

 

MANOEL PEREIRA – VEREADOR

“Meu mandato não foi nem em 2013. Eu fiquei como suplente e só assumi lá no início de 2014.”

(Minha FM, 04/10/17)

manoelradio

Os fatos: O perfil biográfico do vereador na Câmara Municipal desmente o parlamentar: “Já em agosto de 2013, Manoel Pereira assumiu a cadeira de vereador.” Ele também omite que, em 2011 e 2012, foi superintendente de Habitação no primeiro mandato de Juraci Martins.

 

KARLOS CABRAL – DEPUTADO ESTADUAL

(Minha FM, 04/10/17)

karlosportalalego

“O Juraci ouviu do promotor de Justiça Érico de Pina que prefeito que assinava isso ou era doido, ou não tinha lido o contrato ou tinha má intenção.”

“Agora que a população está amargando esse contrato vem sentar na janelinha pra tirar foto e dizer que é bonzinho? Eu não dou conta.” (Em relação ao pedido de auditoria das cobranças tarifárias de água e esgoto feita na semana passada por Lissauer Vieira).

“O outro deputado defendeu esse contrato e foi pra rua me chamar de mentiroso quando eu dizia que por trás desse contrato tinha uma empresa chamada Odebrecht.”

“Me desculpe, vereadora Lúcia Batista, mas se quisesse juntar forças mesmo, a Câmara tinha juntado pra derrubar essa lei absurda que o Juraci assinou, entregando o maior patrimônio que a gente tem para a Odebrecht.”

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.