Único estádio de Rio Verde, Mozart Veloso segue abandonado pelo governo estadual

mozartveloso

Atendendo pedido de sua base política na cidade, governador Marconi Perillo desistiu de fazer a doação definitiva do Estádio e dos ginásios esportivos para a Prefeitura

 

Prestes a sediar a primeira partida em casa, os torcedores do E.C. Rio Verde mais uma vez não sabem se o estádio será liberado a tempo das próximas rodadas da séria A do Campeonato Goiano de Futebol.

Como acontece todo ano, o governo estadual mais uma vez busca fazer adequações paliativas de última hora para tentar obter a liberação do estádio. Em 2016, o Mozart chegou a ser interditado a pedido do Ministério Público.

A situação precária das instalações dos sanitários e até do vestiário dos jogadores deixa claro que em 2018 ele ainda não oferece o mínimo para receber bem nem o público e nem os atletas.

Mozart

Patrimônio

Para chegar onde chegou, o Mozart enfrenta anos de abandono e descaso por parte do governo estadual, que detém a propriedade e a gestão. O último termo de cessão de uso (empréstimo) para a Prefeitura terminou oficialmente  em 2012 e até hoje não foi renovado.

Em 2017, no primeiro mês da sua administração, o prefeito Paulo do Vale comunicou ao governador Marconi Perillo o interesse da gestão municipal de assumir a posse definitiva do Mozart e a responsabilidade pelo estádio.

E para isso, seguiu longo caminho entre papeladas e cartórios, a fim de estar apto para assumir o estádio.

Em setembro último, Paulo do Vale assinou o documento de aceitação onerosa do Mozart Veloso e do Ginásio Heráclito Martins, enviado pela secretária estadual de Educação, Cultura e Esporte, Raquel Teixeira.

Uma vez recebida a transferência, a Prefeitura estaria liberada para investir recursos próprios na recuperação dos dois patrimônios da cidade. Rio Verde ganharia um patrimônio de mais de R$ 70 milhões que beneficiaria todas as classes esportivas da cidade.

Nos dois últimos governos de Paulo Roberto Cunha, o Ginásio ainda teve condições para receber a liga nacional de Futsal e o Mozart foi palco de artistas como Capital Inicial e Daniela Mercury.

Segundo o prefeito Paulo do Vale, o município poderia investir até R$ 300 mil de imediato na revitalização. Mas, para isso, precisa ter a posse definitiva.

Questão política

Intrigado com a demora do governador para fazer de vez a transferência definitiva, o secretário municipal de Esportes, Fernando Pazzoti, foi a Goiânia cobrar o cumprimento do acordo, mas voltou decepcionado.

“A segunda pessoa no comando, depois da secretária, falou com todas as letras que, por um pedido de políticos de Rio Verde, o governador simplesmente não vai honrar”, desabafou.

“É lamentável porque, ao mesmo tempo em que o governo estadual está deixando o Estádio e o Ginásio se acabarem, também não deixa que a Prefeitura invista. É um crime contra um patrimônio que deveria ser de todos os rio-verdenses, não de uma classe política.”

1 Comment

  • Muitas coisa em nossa cidade não é concretizado por falta do interesse desse governador corrupto………muitas vezes a população culpa os prefeitos mas esqueci que o verdadeiro culpado é esse governador que ignora as necessidades da nossa cidade e isso não é de hoje é de muitos anos, está chegando às eleições cabe a nós votarmos em mudanças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.