Assinado contrato para instalação de Pátio Multimodal da Norte-Sul

(Foto: Washington Oliveira)

“O momento histórico mais impactante para a economia do Sudoeste Goiano desde a instalação da Comigo nos anos 1970 e a chegada da Perdigão a Rio Verde no final dos anos 1990”. Foi com essas palavras que o prefeito de Rio Verde, Paulo do Vale, assinou nesta quinta (19) o contrato com a Rumo Logística para a implantação da Plataforma Multimodal da Ferrovia Norte-Sul no município. “A partir de hoje iniciamos um novo ciclo de desenvolvimento econômico e social”, declarou.

O diretor da Rumo Malha Central S.A., Júlio Fontana, disse que o município foi escolhido pela empresa para fazer o investimento por conta da qualidade do serviço público e do espírito empreendedor e ético que ele diz ter encontrado na gestão municipal. Ele anunciou que as obras devem começar no final de janeiro.

O governador Ronaldo Caiado afirmou que Rio Verde tem se consolidado como referência em administração e avanços sociais. “É preciso reconhecer e parabenizar o prefeito Paulo do Vale pela transparência e capacidade de facilitar os investimentos. Esta obra é importante para todo o Estado.”

O investimento na construção do Complexo de Rio Verde será de R$ 400 milhões, considerando a instalação completa da infraestrutura e do terminal de grãos. A estrutura deverá entrar em funcionamento em 2021, gerando 1800 empregos diretos. Na construção, serão gerados 1600 empregos. A plataforma será a maior nos quase 1,5 mil km do trecho entre Porto Nacional (TO) e Estrela D’Oeste (SP).

A conquista histórica foi possível através do Programa de Desenvolvimento Econômico de Rio Verde (PRODEN-RV), que tem como meta a instalação de empreendimentos de médio e grande porte, promover o desenvolvimento econômico e social e estimular a geração de empregos no município.

Estrutura

O Complexo de Rio Verde será um grande hub logístico de Goiás. Ele atenderá diversos clientes em diferentes cadeias produtivas, No agronegócio os potenciais clientes serão produtores rurais, cooperativas, indústrias de beneficiamento, usinas de açúcar, tradings e empresas de fertilizantes, que poderão transportar seus produtos tanto para o mercado interno quanto para o externo.

Além disso, a instalação de um complexo de combustíveis dentro do Complexo de Rio Verde permitirá que distribuidoras façam o escoamento para mercados importadores de São Paulo e o recebimento e distribuição de derivados na região. A capacidade de transporte é de 11 milhões de toneladas por ano e movimentará cerca de 1.200 caminhões bitrem por dia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.