Delação premiada de ex-secretário de Saúde implica Juraci Martins

O ex-secretário de Saúde e o então prefeito Juraci Martins em 2015 (Foto: Rio Verde Agora)

Em acordo de delação premiada homologado na Justiça, ex-secretário municipal de Saúde confessou participação em esquema de desvio de verbas e contou que o acordo foi acertado no gabinete do ex-prefeito de Rio Verde em 2015

Atendendo pedido do Ministério Público, a Justiça determinou esta semana o bloqueio de mais de R$ 16 milhões em bens, de forma solidária, dos condenados em um esquema de desvio de dinheiro da Secretaria Municipal de Saúde de Rio Verde em 2015.

Ex-secretário de Saúde no segundo mandato de Juraci, o advogado Danilo Marques Borges foi condenado por crime de organização criminosa. Em acordo de delação premiada homologado pelo juiz Eduardo Alvares de Oliveira em 2017, ele afirmou que o esquema foi acertado no gabinete do então prefeito Juraci Martins.

No interrogatório, gravado em vídeo, ele relatou que, após assumir a secretaria, recusou uma oferta de propina feita por um representante de uma empresa de medicamentos, mas que depois foi chamado ao gabinete do ex-prefeito, onde foi informado de que teria que repassar uma quantidade semanal de dinheiro através da Secretaria Municipal de Saúde.

Também ficou acordado que o ex-secretário receberia 10% do valor de notas fiscais, fato que segundo ele aconteceu em três oportunidades. Conforme grifado pelo juiz na sentença, Danilo também contou que a falta de medicamentos era comum nas unidades de saúde.

O esquema foi descoberto em janeiro de 2016, quando foi deflagrada a Operação Hígia, conduzida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Centro de Inteligência (CI) do Ministério Público.

Além de Danilo, que teve os bens bloqueados em R$ 4.134.878,55, o ex-coordenador do Setor de Medicamentos e Materiais Hospitalares do município Thiago Martins Conceição teve o patrimônio bloqueado em R$ 1.397.733,13. O bloqueio atinge também os bens do dono da Pró-Remédios, Cleidson Godoy de Oliveira, e do representante da empresa em R$ 4.134.878,55 e, ainda, da própria firma em R$ 2.891.464,25.

Saiba mais:

Operação Hígia: bens de acionados pelo MP são bloqueados em mais de R$ 16 milhões em Rio Verde (Fonte: MP-GO)

Ex-secretário de Saúde de Rio Verde e outros 3 são condenados no âmbito da Operação Hígia (Fonte: MP-GO)

Trecho da delação premiada que foi homologada na Justiça

Trecho da delação premiada que foi homologada na Justiça. Páginas 15-16/89 (Clique aqui para ler a sentença na íntegra)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.