Valor a ser bloqueado de vereador é de mais de R$ 8 milhões

Segundo promotora de Justiça, servidores contratados por Casagrande faziam empréstimos bancários para financiar campanha a deputado estadual

A promotora de Justiça Renata Dantas de Morais e Macedo pediu à Justiça o bloqueio de mais de R$ 8 milhões do vereador Elecir Casagrande (SD). Ele foi presidente da Câmara Municipal em 2009 e 2010, quando o número de servidores subiu de 50 para 225.

A ação civil pública sustenta que os servidores concordavam em fazer empréstimos pessoais na Caixa e no Banco do Brasil para financiar a campanha do parlamentar a deputado estadual em 2010. A apuração mostrou que pessoas eram contratadas para cargos para os quais não possuíam a qualificação necessária e que algumas sequer moravam em Rio Verde.

A promotora argumenta que muitos receberam verbas rescisórias altíssimas, alguns deles mais de uma vez.

Além do parlamentar, Renata Dantas pediu a indisponibilidade de bens de 13 servidores, cujos valores variam de R$ 30 mil a R$ 380 mil. São eles Débora Martins de Oliveira, Diomar Queiroz Faria Paraguassu, Edson dos Reis Carlos, João Martins Cunha, Karla Araújo Silva, Landjane Cabral, Leandro Sousa Prado, Luziano Silva Morais, Márcio Antônio Paraguassu de Oliveira, Maria Helena Tavares, Ricardo Costa Rodrigues, Rosimary Azevedo Rocha, Temistocles Cruvinel da Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.