Sindicato Rural pede apoio ao Judiciário

Diretor do Fórum, o juiiz Wagner Gomes Pereira recebeu os representantes da entidade (Foto: SRRV)

Autoridades discutiram diversos assuntos, entre eles segurança no campo e na cidade

O presidente do Sindicato Rural Walter Baylão Júnior, o vice-presidente Luciano Guimarães, o diretor José Brucceli e o advogado Cairo Arantes, foram recebidos na manhã desta quinta-feira, 11, pelo diretor do Fórum, o juiz de direito Wagner Gomes Pereira para tratar de diversos assuntos, entre eles segurança no campo e na cidade.

A diretoria levou ao Judiciário as demandas do setor, reportou alguns casos que tem ocorrido em determinadas regiões e solicitou ajuda dos magistrados. “Estamos passando por inúmeros problemas e a segurança tem sido motivo de constantes reuniões em nossa instituição”, afirma o presidente Baylão.

O vice-presidente Luciano Guimarães informou que faz parte de um grupo de produtores que vem elaborando projetos na área da segurança. “Estamos com várias ideias e uma delas é a contratação de um advogado que represente os produtores rurais em casos de necessidade”.

Durante a reunião, o juiz repassou importantes esclarecimentos sobre o assunto e informou que hoje existem aproximadamente 11 mil processos criminais na comarca de Rio Verde e apenas dois juízes da área criminal. “Além disso, 95% dos casos de prisões em flagrantes com violência grave são convertidos em prisões preventivas”, reforça o doutor Pereira.

Outro importante dado repassado pelo juiz foi com relação aos casos de furtos que tiveram a pena mínima aumentada o que significa agora que as penas são de dois a cinco anos. “Garanto que em Rio Verde não possuímos juízes liberais, muito pelo contrário, temos grandes profissionais que sabem cumprir o código penal com autoridade”, esclarece.

Estiagem

Os diretores aproveitaram a oportunidade e entregaram ao juiz uma cópia do laudo de situação de emergência em virtude da seca que atingiu os produtores rurais na segunda safra. O vice-presidente explicou que participou das vistorias no campo e constatou os prejuízos. “Haverá quebra de contrato, não só por problemas financeiros, mas também, por falta de mercadoria, vale salientar que o Sindicato Rural apoia as renegociações, mas em hipótese alguma a falta de pagamento das dívidas”, afirma Guimarães.

Baylão explicou que a expectativa de grande parte dos produtores rurais era colher uma média de 110 sacas de milho por hectare e que infelizmente a realidade passou longe. “Infelizmente fomos pegos de surpresa, muitos colheram bem abaixo do esperado e irão sofrer, principalmente os pequenos produtores”.

O advogado do Sindicato Rural, Cairo Arantes reforçou que alguns produtores já estão em busca de renegociações. “A agricultura é uma atividade de risco, mas já tenho acompanhado as renegociações de muitos e tudo tem saído muito bem e favorável para as duas partes”.

O juiz disse estar acompanhando de perto a situação e que existem três varas cíveis para julgar os processos, tudo dentro da lei. “Os juízes que estarão à frente desses processos conhecem muito bem a agricultura de Rio Verde e saberão lidar com as diversas situações, é importante reforçar que cada caso é um caso, mas a ideia é que tudo seja resolvido nas audiências de conciliação”, explica Pereira.

Durante a reunião, ficou acordado que o Sindicato Rural irá disponibilizar para os associados um técnico durante as audiências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.