Cultivos de verão aumentaram até 18%, mas ‘safrinha’ obteve produção 40% menor

Falta de chuvas no final de março e abril castigaram as lavouras, gerando quebras severas de produtividade

 

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou o levantamento da safra 2015/16. Em Goiás a produção apresentou resultado inferior ao ano passado, influenciado também pela queda do milho safrinha.

Em relação a 2015, a produção goiana de grãos ficou 7,5% menor nesta safra, com um total de 17,5 milhões de toneladas, segundo a Conab. Já na avaliação do IBGE, a produção total do Estado ficou em 16,7 milhões de toneladas, resultado 14,7% inferior aos 19,5 milhões de toneladas estimadas pelo instituto para a safra passada.

“Um dos fatores responsáveis pelo desempenho da safra, está relacionado ao fenômeno climático ‘El Niño’, que afetou a produção brasileira devido as instabilidades climáticas, com excessos e faltas de chuvas”, afirma o assessor técnico da Faeg, Cristiano Palavro.

No país o resultado foi 10,3% menor em relação à safra passada, de acordo com a Conab. A produção total de grãos foi estimada em 186 milhões de toneladas, contra 207 milhões produzidos no ano passado.

Palavro explica que a redução foi observada nos principais produtos cultivados no país, com quedas de 25% na produção de milho safrinha, 47% no sorgo, 21% no feijão, 17% no algodão, 14,8 no arroz e de 0,8% na soja.

“Em termos de volume, a maior perda ficou por conta do milho safrinha, com redução de 13 milhões de toneladas em relação a 2015, causado principalmente pelo longo período seco entre os meses de março e abril no Cerrado brasileiro”, diz.

Entre os principais produtos, tivemos bons resultados nos cultivos de verão, com aumento de 18,8% na produção de soja e 14,6% na produção de milho 1ª safra. Com exceção dos municípios do Norte do estado, a safra de soja teve resultados bastante superiores aos observados nas últimas duas safras, encerrando o ciclo com uma produção total de 10,25 milhões de toneladas. O feijão obteve resultados de produtividade por hectare menores do que em 2015, porém, com aumento de 21% na área plantada deste ano, Goiás produziu 241 mil toneladas de feijão, resultado 17,7% superior em relação à safra anterior.

A parte mais negativa ficou por conta dos cultivos na safrinha. O milho safrinha, apesar de um crescimento de quase 15% na área plantada, obteve produção 40% menor do que em 2015. A falta de chuvas em Goiás no final de março e durante todo o mês de abril castigaram os cultivos, gerando quebras severas na produtividade das lavouras.

O sorgo, produto que Goiás é o maior produtor nacional, sofreu os mesmos efeitos do milho safrinha, o que resultou em produção 60% menor do que em 2015. (Com informações da FAEG/Getec)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.