“Vila das Abóboras” diverte de mamando a caducando

Nathan Garcia interpreta "Malaca" na peça, que mistura personagens reais e fictícios

Comédia que conta a origem da expressão “Rio Verde das Abóboras” traz o melhor do teatro popular

Resultado de oito meses de pesquisa do diretor e dramaturgo Pedru Maia, o espetáculo teatral “Vila das Abóboras” estreou este mês em Rio Verde como parte das comemorações do aniversário de 171 anos do município. Apresentada pelo grupo Arar’Arte, da Fundação Municipal de Cultura, a peça é uma comédia que explica a origem da expressão “Rio Verde das Abóboras”.

“Vila das Abóboras” traz o melhor do teatro popular e arranca risos de públicos de todas as idades. A trama, que se desenrola durante a passagem dos soldados brasileiros rumo à Guerra do Paraguai em 1865, mistura personagens reais e fictícios.

O destaque fica por conta de Malaca (Nathan Garcias), um bom malandro rio-verdense que disputa a mão de Candanga (Rosângela Ribeiro) com o Soldado Braga (Danrley Mota), das Forças Expedicionárias.

O pai de Candanga é o Sr Modesto (Givelto Júnior), que trava diálogos hilários com o Padre Serafim (Ismael Santos) sobre como alimentar a tropa de mais de 300 soldados. Os personagens do fazendeiro e do pároco dão ao público um olhar crítico e bem humorado dos costumes da Vila das Abóboras do século 19.

Onde assistir

“Vila das Abóboras” será apresentada novamente nesta quinta-feira, 15, às 20h no Calçadão, como parte do Dia “D” da Cultura, que vai reunir atrações artísticas das 8 às 22h no Centro. Ainda dentro da programação de aniversário de Rio Verde, o espetáculo será apresentado também nos dias 24 e 25 de agosto na Praça da Morada do Sol às 16h e nos dias 31 de agosto e 1º de setembro no Céu Azul, também às 16h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.