H1N1: Campanha de vacinação cria farra eleitoral (atualizado)

Passe de mágica: busca por vacinas tem gerado promessas mirabolantes

Pré-candidatos propõem soluções mágicas e brigam para se intitular os ‘responsáveis’ pela chegada de vacinas no maior surto de gripe A em Rio Verde

O surto de H1N1 que amedronta a população de Rio Verde desde o mês passado provocou uma corrida maciça pela vacina aos postos de saúde e clínicas particulares. E também um festival de promessas e fórmulas mágicas apresentadas por pré-candidatos à Prefeitura nas eleições deste ano.

Aliado do governo estadual e apoiado pelo prefeito Juraci Martins, o deputado estadual Lissauer Vieira (PSB) pregou nas redes sociais que, se não fosse pela sua atuação parlamentar, o município poderia ficar sem as novas doses contra H1N1. Segundo o deputado, foi graças à sua cobrança que a Secretaria de Saúde liberou novos lotes da vacina contra a Influenza para o município.

O deputado federal e também pré-candidato a prefeito Heuler Cruvinel (PSD) foi ainda mais longe. Ele anunciou no Facebook que conseguiria 200 mil vacinas para a população de Rio Verde, praticamente uma por habitante. Tudo, segundo ele, devido ao poder do seu pedido junto ao Ministério da Saúde. A assessoria do parlamentar alegou depois que tudo não passou de um ‘erro de digitação’. E que a intenção era teclar 20 mil, e não 200 mil.

A Secretaria Estadual de Saúde esclareceu à reportagem do Diário de Rio Verde que o número de doses enviadas pelo Ministério da Saúde para Goiás corresponde, exatamente, ao quantitativo dos grupos prioritários. Informou também que as doses da novo cepa 2016 estão sendo distribuídas em etapas pelo governo federal.

Segundo o órgão estadual, a campanha de Vacinação contra Influenza (assim como todas as outras vacinações) é definida pelo Ministério da Saúde e organizada da seguinte forma na esfera das responsabilidades: 1) A União fornece as vacinas, define quem será vacinado, as datas de começo e fim; 2) Os estados são os responsáveis pelo armazenamento e distribuição das vacinas aos municípios; 3) Os municípios é que definem a execução, a aplicação das vacinas.

Resposta

A assessoria do deputado Lissauer Vieira contestou que o parlamentar tente fazer “politicagem” com os casos de H1N1 em Rio Verde. “Jamais o deputado quis levar o mérito em cima de casos como esse. Agora, divulgar o que está fazendo, isso vamos continuar fazendo.”

A nota diz ainda que nunca foi ventilado ou tentado transparecer que as vacinas só chegaram devido à política. Segundo Lissauer, a antecipação das vacinas no final de março, estas sim, teriam chegado graças à sua atuação na Secretaria Estadual de Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.