Entidades preparam mega protesto

(Crédito da foto: Sbtur)

“Rio Verde Pede Socorro” promete mobilização histórica no próximo dia 13

Se em março do ano passado mais de 3 mil pessoas participaram de um manifesto contra a falta de segurança pública em Rio Verde, a expectativa é de que um número ainda maior saia às ruas no dia 13 de setembro.

A intenção dos organizadores do “Rio Verde Pede Socorro” é denunciar a situação dramática em nível nacional, com o fechamento do comércio e possibilidade de bloqueio de rodovias que cortam a cidade. O município atravessa a sua pior crise de segurança.

O evento é liderado por entidades de classe, associações, lojas maçônicas, empresários e comerciantes de todos os segmentos. Eles relatam que, em função do aumento da criminalidade, o sentimento de insegurança da população começa a dar lugar ao pânico.

Ações urgentes

Lideranças de diversas entidades discutiram nesta quinta-feira (25) , em reunião com vereadores e representantes do Ministério Público na Câmara Municipal, ações urgentes para amenizar a onda de crimes.

Eles debateram sugestões baseadas em leis que já existem em outras cidades mais seguras do que Rio Verde e querem ampliação imediata de câmeras de monitoramento, principalmente nos 11 acessos à área urbana.

Inércia

Apesar do clamor público por segurança em Rio Verde, as declarações recentes do secretário estadual de Segurança Pública José Eliton (PSDB) têm sido verdadeiros baldes de água fria na população.

O governo vem protelando a solução de demandas antigas, como a mudança da CPP (Casa de Prisão Provisória) do centro da cidade e o aumento do efetivo policial. Além disso, o CIS (Centro de Inserção Social) tem sido palco constante de fuga de presos.

Rio Verde experimenta um crescimento de violência praticada por menores infratores. Como o município de mais de 200 mil habitantes não possui um centro para internação e as vagas no Estado são escassas, até mesmo os adolescentes que praticam roubos e assassinatos ficam pouco tempo longe das ruas.

Iniciada com atraso de ao menos uma década pelo Estado, a construção do Case (Centro de Atenção Sócio Educativo) em Rio Verde só tem previsão de ser concluída no final do 2017. Até 2009, a unidade funcionava de maneira precária no prédio do antigo mercado municipal, quando foi interditada pelo Corpo de Bombeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aviso legal: Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo apresentado neste site é protegido pelas leis de proteção aos direitos autorais e outros.